sábado, 21 de março de 2015

Livro X filme: O senhor dos anéis– A sociedade do Anel

Um texto de: Tico Farpelli
cinema 04É difícil falar de J.R.R Tolkien por causa de sua legião inveterada de fãs. Desde já, deixo claro que não sou nenhum especialista em Tolkien e que falarei deste filme em comparação com o livro, unicamente por meio de minhas impressões sobre os mesmos. Dito isto, a impressão que tive ao assistir “O Senhor do Anéis: A Sociedade do Anel” foi a de que tudo aquilo que estava no livro havia sido transcrito para o papel. O livro, com sua riqueza narrativa e descritiva já poderia ser considerado um pré-roteiro do filme, entretanto, as mãos de Fran Walsh, Philippa Bowens e Peter Jackson, foram essenciais para construir visualmente o universo de Tolkien com um grande respeito àquilo que o autor dedicara a vida para criar.
cinema 02Há passagens que não foram incluídas no filme, como o excesso de canções entoadas pelos hobbits e o personagem Tom Bombadil. Penso que tenha ocorrido por não conseguirem encaixar tudo na montagem final e optarem pela retirada deste excesso. A calma com que o autor trouxe vida aos cenários, aos seus personagens e às situações está toda ali. Peter Jackson optou por dar ênfase aos grandiosos cenários da Nova Zelândia como Tolkien havia feito com os da Terra Média, o que realmente deu a impressão de estarmos em um outro mundo.
cinema 05Muitos fãs ficaram chateados com a fragilidade de Frodo. No livro, o personagem seria um pouco mais corajoso e independente do que no filme, mas acredito que isso tenha sido pensado para dar ênfase ao personagem de Sam (Sean Astin) e à amizade dos dois. Os efeitos visuais do primeiro filme superam de longe os do segundo longa da série. Não ei por que motivo, sempre questionei algumas das cenas de “As Duas Torres”. Aqui em “A Sociedade do Anel”, percebi que a história caminha a passos curtos e possui dois ápices: O primeiro momento em que os personagens se encontram e são levados para dentro da floresta dos elfos em Valfenda. E o segundo, no qual a sociedade do anel finalmente parte para cumprir seu objetivo.
cinema 03É difícil comparar as duas obras, pois cada um tem seus méritos e seus ônus. Percebi uma fidelidade muito grande em alguns momentos do filme em relação ao livro, pois quando lia, relembrava-me das passagens que havia assistido. Sim, eu vi o filme antes e sim, eu ainda não tive paciência de encerras as 100 páginas finais de “O Retorno do Rei”. Gostei bastante das duas obras, dignas de apreciação e merecimento e vocês? Que diferenças viram entre filme e livro? Conseguem escolher o melhor?

Nenhum comentário:

Postar um comentário