quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Caesar comenta: A gorda, o detetive e o Escritor

Alguns gostam de revelações bombásticas e mistérios. outros como o assassino cruel e perverso age...
No livro, "As esganadas"´, José Eugênio Soares, o Jô, nos alimenta e nos causa fome ao mesmo tempo.
Nos alimenta com seus personagens, que embora fictícios, tenham um "Quê" de reais, devido a seu linguajar um tanto quanto sujo, porém amável.
Consagrado também é o fundo de época, uma detalhação incrível, que nos leva realmente ao Brasil Getulista.
enfim, no livro "As esganadas", Jô reúne o que há de bom nas histórias "sherlockianas" e com uma boa influência hitchcockiana.
Como não se apaixonar perdidamente pelo policial Tobias Esteves e suas tiradas descabidas, assim como Sherlock de Sir Conan Doyle
Como não sentir pena do cruel assassino Caronte, que teve uma mãe, gordinha e maldosa?
Como não torcer pelo "amor" da bela jornalista e o detetive?
Como não lamber os beiços imaginando as iguarias portuguesas feitas por Caronte?
Enfim, um livro igual as receitas feitas pelo vilão(?), doce e saboroso.
Embora, sim eu hei de concordar que "O Homem que Matou Getúlio Vargas" e " Assassinatos na ABL" são, por serem os primeiros, quem sabe, os melhores do Jô.
É de lamber os beiços

Nenhum comentário:

Postar um comentário